O Natal de cada um

O Natal de cada um

Natal. Nascimento. Há uma forte tendência dos sentimentos serem aflorados, principalmente nessa época. Consumismo desenfreado, apelos comerciais mostrando reuniões familiares idealizadas  no entorno de uma mesa bastante farta de alimentos. Confraternização, encontros… presentes…e ausentes…

Por outro lado, ou pelo mesmo lado, pode o vazio existencial  emergir  pela explosão dos fogos de artifícios de lá de fora fazendo eco aqui do lado de dentro do ser trazendo a tona os nossos artifícios estilhaçados para sobreviver, aqueles que abrem o peito de quem luta para encontrar sentido na vida!

O choque do que se sente com aquilo que o mundo pede que se sinta desenha o abismo da profunda dor do existir!

Esta cratera que se rompe no ser, pode trazer a tona sentimentos infeccionados, mal tratados, medos profundos, mágoas, arrependimentos. E de repente um cruel retorno ao passado..de memórias, situações vividas, idealizadas e por isso, muitas vezes infeccionadas!

Sim!  Sentimentos podem infeccionar conduzindo para a solidão, poderá promover isolamento mesmo em companhias. Eis aquela sala vazia ecoando momentos vividos,  podendo provocar erupções dos pensamentos, auto desprezo, estima baixa.encontrando, muitas vezes, a dor do existir.

E mais um rojão a estourar lá fora podendo trazer o desespero e desesperança aqui dentro…muitas vezes, culminando no desejo de não mais existir para não mais sentir!

Ao leitor que acompanha esse mergulho na escuridão do sentir… todas essas palavras que se juntam para compor esse texto, surgem aqui como uma forma de amenizar a  infecção dos sentimentos que possamos ter.

Essa leitura poderá promover a identificação do seu vazio existencial em alguns, e provocar reflexão em outros de que não está só em seu vazio! Pois aqui há uma descrição, e é isso que nos tornam singulares em nossa humanidade.

Compartilhamos os vazios porque somos humanos e, por isso, poderá haver a possibilidade de se pedir ajuda a outro humano. Falando palavras que em última instancia chega ao interlocutor com a emoção da dor e do existir. Emoção essa capaz de amenizar o peso de se sentir só, porque pode haver reverberações daí para cá.

Os sentimentos infeccionados podem necessitar serem reconhecidos e assim serem falados, para então, poderem ser renascidos…transformados…ai sim poderá existir o natal em cada um de nós!

Karla Gaspar – Colaboradora do Blog do CVV

Precisando conversar acesse www.cvv.org.br e veja as formas de atendimento disponíveis.

Posts Populares


Campanhas


Categorias


...