Como está nossa comunicação?

Como está nossa comunicação?

Saber expor nossas ideias e o quanto elas representam das nossas verdades é um grande desafio. Apesar de usarmos as palavras para praticamente tudo, muitas vezes somos traídos pela rapidez do pensamento, que quase nunca permite a reflexão, e acabamos não sendo claros ou dizendo algo que não gostaríamos.


Inconscientemente, a nossa verdadeira face aparece. Dificilmente conseguimos disfarçar por muito tempo, representar algo que não somos e não acreditamos, pois ninguém consegue sustentar uma máscara permanente.
 
Falar não é somente expressar-se por palavras, mas envolve vários aspectos mentais, corporais e sentimentais. Normalmente, tocamos mais o outro quando falamos com sinceridade, confiança, pureza de sentimentos e amor pelo assunto. Talvez por isso às vezes não acreditemos em algumas pessoas quando as ouvimos falar, pois falta a elas crença no que dizem.
 
Uma das formas de nos expressarmos bem é nos aproximando de nós mesmos, nos permitindo mostrar ao outro nossos reais pensamentos e sentimentos, sejam eles agradáveis ou não. É ser congruente com nossos valores, crenças e formas de enxergar o mundo. Quando expomos a nossa verdade, construímos um caminho próprio, um ambiente saudável e harmonioso ao nosso redor e no nosso interior. Se evitamos constantemente reportar nossas insatisfações, para não causar conflitos, aumentamos o risco de um dia “explodir” e comunicá-las de forma violenta e impensada.
 
A arte de falar exige também a aceitação de que nem sempre seremos corretamente compreendidos, pois cada um irá interpretar o que ouviu de acordo com suas referências, valores e até com a sua capacidade de identificação e simpatia conosco. Nossa confiança para falar costuma aumentar quando deixamos de nos preocupar com o que o outro entende, mas nos responsabilizarmos apenas pelo que dissemos e com as nossas intenções.

Por fim, a boa comunicação implica também na boa escuta. Ouvir atentamente, com abertura, sem críticas ou julgamentos é essencial para compreender o outro. A compreensão costuma ser o objetivo de todo diálogo saudável. Sem o exercício de entender o que o outro nos diz, tendemos a permanecer interpretando suas palavras com base nas nossas próprias concepções, sem possibilidade de troca e crescimento.

Dialogar requer prática, paciência, tolerância e mentes e corações abertos. Conhecer a nós mesmos ajuda a aproximarmos o que falamos daquilo que somos realmente, aumentando nossas chances de uma comunicação bem sucedida, amorosa e agregadora.


Eixo Comunicação CVV
 
*Precisando conversar? Acesse www.cvv.org.br e veja as formas de atendimento disponíveis.

Busca


Posts Populares


Campanhas


Categorias


...